Reunidos em Assembleia Geral Extraordinária, na noite desta segunda-feira, dia 11, os bancários e bancárias da Região de Irecê aprovaram por unanimidade a Minuta com a pauta de reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários 2018.

As resoluções aprovadas pela categoria haviam sido definidas no último final de semana pelos 627 delegados que participaram da 20ª Conferência Nacional que aconteceu em São Paulo. A pauta busca garantir a manutenção dos direitos, além da mesa única de negociações como prioridades da pauta de reivindicações.

Pré-Acordo
A Conferência também definiu um pré-acordo, feito pela primeira vez, prorrogando a validade da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e os acordos específicos até o encerramento das negociações.

"A inclusão desse item na pauta de reivindicações é de extrema importância, afinal com o advento da reforma trabalhista, aprovada pelo Governo de Michel Temer, perde a validade a súmula que garante a ultratividade dos direitos. Assim, caso o pré-acordo não seja validado, a categoria amanhecerá no dia 01/09 sem a maioria dos direitos conquistados historicamente e que constam da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT)", destaca Carlos Alberto Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários de Irecê e Região.

Índice de reajuste e outras reivindicações
A minuta tem atenção especial à saúde com medidas de prevenção a doenças ocupacionais e melhores condições de trabalho. Além disso as reivindicações buscam a garantia de emprego, reposição da inflação do período mais 5% de aumento e PLR (Participação nos Lucros e Resultados) para todos os bancários.

Contribuição negocial
Para garantir a sustentabilidade das entidades sindicais que sentam à mesa para defender os interesses dos trabalhadores, a categoria também aprovou adicionar à CCT a contribuição negocial, uma alternativa à contribuição sindical que o governo Temer acabou para atender a agenda das grandes empresas e dos banqueiros, no intuito de enfraquecer o movimento representativo dos trabalhadores.

Entrega da Minuta
O documento com todas as reivindicações será entregue à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), nesta quarta-feira (13/06), ao meio dia.  Esta é a primeira campanha salarial pós reforma trabalhista. Portanto, a minuta traz ainda itens que visam proteger os bancários dos prejuízos causadas pela nova legislação. Uma das cláusulas determina que contratação de banco de horas e compensação deverão ser feita via negociação coletiva.

A categoria também definiu como pontos centrais da campanha salarial 2018 a defesa dos bancos públicos como BB, Caixa, BNDES, BNB, Basa e das demais estatais, como Petrobras e Eletrobrás.

Acesse aqui e confira a íntegra a Minuta aprovada.