A campanha salarial dos bancários entrou em sua fase decisiva nesta quinta-feira (23/7), com a entrega da minuta de reivindicações à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e à Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Em reunião, por videoconferência, o Comando Nacional dos Bancários apresentou os principais pontos do documento, destacou a importância da negociação e apontou como eixo central da campanha, a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), com a manutenção dos direitos da categoria.

Em sua intervenção, o presidente da Feebbase, Hermelino Neto, falou das crises econômica e sanitária que o país enfrenta e da falta de seriedade com que o governo Bolsonaro trata estas questões. Cobrou também a atuação dos bancos na liberação de crédito para as pequenas e médias empresas, que são essenciais para a geração de emprego e renda no país.

Neto destacou também os desafios da campanha salarial deste ano. “Este é um momento de proteger a vida, o emprego, os direitos, a luta por aumento real, saúde e condições de trabalho. Mas, não podemos abrir mão de nenhum direito e vamos lutar para manter a nossa CCT, como fizemos em todas as campanhas”, ressaltou.

O Comando se mostrou surpreso com a ausência da Caixa na reunião, uma vez que o banco tinha se comprometido a participar da entrega da minuta geral e também da pauta de reivindicações especificas dos empregados. A empresa solicitou que os documentos sejam enviados por email.

Além de Adauto Duarte, representando a Fenaban, a reunião desta quinta contou também com a presença de dois dirigentes da Febraban: Isaac Sidnyl e Henrique Szapiro. Eles reafirmaram a disposição dos bancos em negociar com os trabalhadores, destacando o que aconteceu durante a pandemia.

Uma nova reunião deve acontecer na próxima semana, para definição do calendário de negociação da campanha.

Fonte: FEEB BA/SE