Depois de quase dois anos realizando apenas encontros virtuais por conta da pandemia de Covid-19, o Conselho dos Presidentes dos sindicatos dos bancários da Bahia e Sergipe se reuniu pela primeira vez de forma presencial, nesta sexta-feira (19/11), em Ilhéus. Além do balanço das atividades da Federação dos Bancários em 2021, estiveram em pauta a atual conjuntura e o debate entre o Comando Nacional e Fenaban (Federação Nacional dos Bancos).

Houve debate sobre as ações contra os desmandos nos bancos privados e públicos. Apesar da alta lucratividade, Bradesco, Itaú, e Santander continuam demitindo funcionários. A Feebbase participa ativamente das manifestações para defender os direitos da categoria e nas negociações com as empresas.

Conjuntura internacional e nacional foi o foco da fala do presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, que também é vereador de Salvador. Na ocasião, apontou os problemas e desafios dos trabalhadores para derrotar o projeto nefasto, reacionário, do governo Bolsonaro. Salientou a importância do envolvimento da classe trabalhadora na construção de um país melhor. Para Vasconcelos, para derrotar este modelo, é necessário engajamento dos movimentos sociais, dos partidos de esquerda, das centrais sindicais.

O presidente da Feebbase, Hermelino Neto, destacou alguns pontos referentes ao balanço das atividades, como a luta pela vacina desempenhada pela Federação. Foi construída grande mobilização, com plenárias chamando a categoria para discutir, ainda foi aprovado um calendário de paralisação nos estados da Bahia e Sergipe. A partir deste momento, a Fenaban se posicionou.

Destacou os diversos contatos com os vários prefeitos e com a Secretaria de Saúde da Bahia para avançar e conseguir transformar a pauta da imunização da categoria em uma pauta extremamente importante. Em Sergipe, o Sindicato se também se reuniu com o governo do Estado e com o secretário de Saúde.

Além disso, os membros do Comando Nacional dos Bancários – os presidentes da Feebbase e SBBA, respectivamente, Hermelino Neto e Augusto Vasconcelos, e a presidenta do Seeb Sergige, Ivânia Pereira – foram até Brasília e se reuniram com o Ministério Público Federal. Ainda tivemos reuniões no Ministério da Economia para tratar do assunto e com o presidente da Câmara Federal o Arthur Lira (PP-AL).

Para ter vitória na luta para conquistar a vacinação contra a Covid-19 dos bancários, vários partidos e segmentos foram envolvidos. Até que o tema fosse pautado na Câmara Federal e passou. Com isso, a vacina chegou no braço da categoria.

A Federação esteve presente em todas as mobilizações contra o governo Bolsonaro e a favor da democracia. Realizou encontro virtual das mulheres, plenárias dos bancos públicos e encontros dos bancos privados. Para fechar os grandes eventos, a Feebbase realizou uma grande conferência dos bancários dos dois estados.

Ainda durante o balanço, o papel da categoria na pandemia ganhou destaque, pois em nenhum momento os bancários deixaram de atender a população. “Tivemos perdas em função da Covid, mas a categoria bancária foi um exemplo de superação. Teve um papel fundamental e esteve colada com a população mesmo sabendo dos riscos”, reforçou o presidente da Feebbase, Hermelino Neto. Ainda mais que o movimento sindical lutou para que os bancos estabelecessem os protocolos de segurança para diminuir os riscos de contaminação.

Aprovações

Além dos ricos debates, os presidentes aprovaram o curso de formação sindical, em dezembro. A iniciativa é uma parceria da Feebbase com os seus sindicatos filiados, envolvendo os dirigentes das entidades.

Também definiram a realização do Encontro da Juventude, de forma presencial, com a melhora da situação da pandemia de Covid-19, assim como o Encontro das Mulheres.

Resolução Política

Confira a Resolução da Reunião do Conselho dos Presidentes, aprovada durante o encontro na cidade de Ilhéus (BA).

Da redação com informes da FEEB BA/SE