Acabou sem nenhuma resposta, a primeira rodada de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação dos Bancos, realizada nesta quinta-feira ( 28/6), em São Paulo. Na mesa, os trabalhadores reivindicaram a ultratividade da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e o estabelecimento de um calendário de negociação para os outros itens da pauta, mas os representantes dos bancos marcaram apenas uma nova reunião para o dia 12 de julho.

A Fenaban também não deu nenhuma garantia sobre a assinatura de um pré-acordo que garantam os direitos dos bancários até o fim do processo negocial, como acontecia nos anos anteriores. A atual CCT tem validade somente até 31 de agosto, já que a data base da categoria é 1º de setembro. Por isso, a ultratividade é uma prioridade para a categoria, principalmente diante da vigência da legislação trabalhista, que autoriza a retirada de direitos.

“O que percebemos foi que os banqueiros mudaram a postura na mesa de negociação após a entrada em vigor da reforma trabalhista, que já está sendo implementada pelos bancos. Isso ficou evidente na postura do novo negociador da Fenaban, Adalto Duarte, durante a reunião. Tudo isso reforça a necessidade dos sindicatos mobilizarem a categoria para a campanha. A participação da categoria será fundamental para as conquista das nossas reivindicações”, ressaltou o presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Hermelino Neto.

Comando

A avaliação é consenso entre os integrantes do Comando Nacional, que se reuniram para debater a negociação. Deste encontro participaram também o diretor de Políticas Sindicais da Federação, Eduardo Navarro, e a presidenta do Sindicato de Sergipe, Ivânia Pereira.

“Essa primeira rodada de negociação só confirmou a importância da mobilização dos bancários na defesa da CCT e da mesa única de negociação. Queremos negociação com seriedade. Nossa CCT está em risco, assim como todos os direitos da categoria, inclusive nossa PLR e a mesa unificada nacional entre bancos públicos e privados”, alertou Juvandia Moreira, presidente da Contraf e coordenadora do Comando.

O Comando reforçou ainda a convocação para o Dia Nacional de Luta em Defesa dos Bancos Públicos, em 5 de julho e o Dia Nacional de Luta em Defesa da CCT e dos direitos da categoria, no dia 11, quando os bancários devem usar #TodosPelosDireitos e #AssinaFenaban para ajudar a pressionar os bancos também pelas redes sociais.

Fonte: FEEB BA/SE