Reunido nesta sexta-feira (6), em Florianópolis (SC), o Conselho Deliberativo Nacional da Fenae repudiou a decisão da direção da Caixa Econômica Federal de proibir a distribuição de materiais das Apcefs e da Fenae nos malotes da empresa.  Para o CDN, a medida visa reprimir a organização dos trabalhadores.

Durante o debate sobre a retaliação da empresa, presidentes de Apcefs e diretores da Fenae condenaram a posição do banco.

Confira abaixo a íntegra da moção:

 MOÇÃO DE REPÚDIO

O Conselho Deliberativo Nacional da Federação das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), formado pelos  27 presidentes das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcefs), reunido em Florianópolis (SC) no dia 5 de dezembro de 2019, vêm por meio deste repudiar, por unanimidade, todas as ações de retaliação da direção da Caixa Econômica Federal à liberdade de organização dos empregados e a qualquer restrição à democracia interna das trabalhadoras e dos trabalhadores do banco.

O movimento dos empregados da Caixa é marcado por luta e por resistência que atravessou a ditadura militar e desde então se mantém cada vez mais unido e organizado.

A repressão à atuação das entidades associativas acontece no momento em que as representações dos trabalhadores estão denunciando o fatiamento e a entrega de um patrimônio de 158 anos de existência aos interesses do mercado financeiro privado. Ao proibir a distribuição de material da Fenae e das Apcefs, a direção da Caixa quer abafar a resistência à tentativa de privatização do banco.

Mas, o movimento dos empregados não vai se calar. Manteremos a nossa mobilização contra a redução do papel social do banco e denunciaremos esse e outros abusos que venham a ser praticados contra a organização dos trabalhadores.

 Florianópolis, 5 de dezembro de 2019
 Conselho Deliberativo Nacional da Fenae