Tarifas altas, juros exorbitantes e pouca concorrência. Estes são alguns dos motivos que explicam a alta lucratividade dos bancos que atuam no Brasil. Os cinco maiores – Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa e Santander – lucraram juntos R$ 80,55 bilhões nos primeiros nove meses de 2019. Uma maravilha, principalmente em país em que a economia está praticamente estagnada.

Mesmo com tantos lucros, os bancos seguem reajustando as tarifas acima da inflação, cobram taxas de juros dezenas de vezes superior à Selic (taxa básica de juros da economia), elevando assim os ganhos com o spread bancário – diferença entre a taxa de captação do dinheiro e cobrada dos clientes nos empréstimos.

Além disso, insistem em fechar agências e demitir funcionários. Foram 6.379 postos de trabalhos fechados no setor entre janeiro e outubro, com contribuição expressiva dos bancos públicos, através dos programas de demissão incentivadas.

Enquanto isso, os clientes sofrem com longas filas e os bancários com a sobrecarga de trabalho nas agências. Um sofrimento sem fim.

Fonte: FEEB BA/SE