Os bancários da Bahia e Sergipe participaram, com paralisações e manifestações, no Dia Nacional de Luta contra a proposta de reforma da Previdência Social, a portaria do trabalho escravo, a entrega do pré-sal e a reforma trabalhista, que entra em vigor neste sábado (11), retirando conquistas e direitos dos trabalhadores.

Em Irecê, a CTB Regional promoveu um grande protesto em parceria com as entidades filiadas, pela manhã, em frente à agência da Caixa Econômica Federal, denunciando a política de desmonte do Governo Temer. Um cenário de velório foi montado para simbolizar o "sepultamento" da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Os manifestantes finalizaram o ato com um "cortejo fúnebre" pelas principais ruas da cidade. Os bancários da CAIXA protestaram também em defesa dos bancos públicos, retardando a abertura da agência por uma hora.

Em Salvador, a categoria fechou as agências bancárias até o meio-dia e esteve presente também na caminhada do Campo Grande ao Comércio e nos protestos em frente às sedes da Justiça do Trabalho e da Previdência Social. O retardamento do atendimento nas agências ocorreu também em Jequié. Os bancários usaram trajes na cor preta simbolizando o luto pelo sepultamento dos direitos dos trabalhadores previstos na CLT.

Em Itabuna, os diretores do Sindicato dos Bancários e da Federação, participaram pela manhã da manifestação no centro da cidade, convocando a população para a caminhada que sairá a partir das 16h, do Jardim Ó.

Os bancários de Ilhéus participaram de um grande ato no Centro da cidade, que contou com a participação de trabalhadores de diversas categorias. Já em Barreiras, os bancários fizeram um ato em defesa dos bancos públicos e retardaram a abertura das agêndias do Banco do Brasil, Caixa e BNB.

Já em Vitória da Conquista, o Sindicato dos Bancários promoveu uma mobilização com panfletagem nas agências bancárias e carro de som na Praça 9 de Novembro, dialogando com a população sobre os riscos das mudanças na legislação trabalhista. Em Juazeiro, os bancários se uniram a outras categorias para os protestos, na Praça Santiago Maior.

Sergipe – Em Aracaju, os bancários retardaram a abertura das agências da Caixa Econômica (Serigy) e do Banco do Brasil (Praça General Valadão). A partir das 15h, os bancários participam ainda de um grande ato unitário convocado pelas centrais e pelo movimento social sergipano. 

Da Redação co  FEEB BA/SE