Os bancos começam a divulgar os lucros e uma coisa chama à atenção: eles estão cada vez maiores. Mesmo com a crise econômica e desaceleração da economia no Brasil, o Bradesco anunciou o lucro líquido de R$ 5,102 bilhões no primeiro trimestre de 2018. O crescimento foi de 9,8% em comparação com o mesmo período do ano passado e de 4,94% , em relação ao último trimestre de 2017.

De acordo com o banco, os ganhos aumentaram devido à queda vigorosa das provisões para perdas com calotes e o controle das despesas administrativas. O controle das despesas deve-se ao fechamento de agências e de postos de trabalho. No fim de março, o Bradesco tinha 4.708 agências, 414 a menos em 12 meses. A folha de pagamento também teve uma redução de 9.050 funcionários no período.

O resultado mostra a falta de compromisso do banco com os seus clientes, que sofrem com as filas nas agências e as altas tarifas. Os funcionários também pagam o preço pelo aumento dos lucros, seja com a demissão ou a sobrecarga de trabalho.

Fonte: FEEB BA/SE