A votação da Medida Provisória (MP) 905/2019 da carteira verde e amarelo, prevista para a última quarta-feira (11/03), foi adiada novamente. A nova previsão é que a análise da MP seja feita no terça-feira (17/03).

A expectativa, por parte das centrais sindicais, é que a MP perca a validade na tramitação no Congresso, já que a medida acaba com um série de direitos trabalhistas. Para que isso aconteça, a votação não poderá ocorrer até o dia 27 de março.

A medida foi apresentada a pretexto de garantir novos empregos para jovens entre 18 e 29 anos, mas na verdade configura uma nova “reforma” trabalhista em que os contratados trabalham mais, com um salário menor e menos direitos.

Entre os absurdos proposto pela MP, estão o trabalho aos domingos sem pagamento dobrado, redução da multa de demissão de 40% para 20%, aumento da jornada de trabalho do bancário de 6 para 8 horas.

Fonte: FEEB BA/SE