O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, deu mais uma demonstração de desrespeito aos empregados ao anunciar na imprensa que a empresa pretende expandir o trabalho remoto após a pandemia, causada pelo coronavírus. Ele precisa entender que qualquer mudança desta natureza precisa ser negociada com os empregados.

As entidades sindicais defendem o home-office desde o início da pandemia, como forma de proteger a saúde dos bancários e de suas famílias. Após este período, a adoção desta modalidade deve ser estudada com cuidado. Precisa de uma definição sobre compra de equipamentos, jornada e respeito aos direitos da categoria, por exemplo.

O movimento sindical sabe que muitos bancários enfrentam dificuldades para trabalhar em casa. Tem ainda as denúncias de excesso de cobranças e estabelecimentos de metas que ultrapassam em muito a jornada estabelecida. Por isso mesmo, não cabe apenas aos bancos definir o trabalho remoto, os bancários precisam participar dessa discussão.

Projeto Remoto

O Projeto Remoto é uma modalidade de Trabalho Remoto Simplificado. Foi lançando em março, por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19) e tinha o prazo de 30 dias. A prorrogação do projeto ocorre de acordo com a necessidade do banco. Atualmente, o prazo vai até 30 de junho.

Fonte: FEEB BA/SE