Indiferente, a direção do Santander tem convocado bancários afastados pelo INSS ou que estão aguardando perícia do órgão para exame de retorno. O banco espanhol não leva em conta os problemas como atrasos nos agendamentos e realizações de perícias, análise de documentos e para a emissão do resultado das perícias por conta da pandemia do coronavírus.

O Santander está tão alheio à situação. Convoca trabalhadores para passar no exame de retorno quando o atestado médico vence, antes da perícia do INSS. Caso o funcionário seja considerado apto para o retorno ao trabalho pelo médico do banco, poderá aguardar a perícia do Instituto trabalhando, conforme o decreto 8691/2016. Por isso é fundamental que o empregado mantenha os atestados médicos sempre atualizados.

Ainda há casos em que quando o benefício do INSS é suspenso ou indeferimento a empresa convoca para o exame de retorno. O Santander não aceita atestados com datas anteriores ou com a mesma data do exame de retorno. Somente os que têm vigência após a data do exame de retorno no banco. Neste caso, é necessário passar pelo exame de retorno quando há suspensão do benefício.

A postura do Santander é desrespeitosa com os trabalhadores. O banco insiste em ignorar a existências de sérios problemas no INSS devido à pandemia, a exemplo da demora de meses para realizar uma perícia. Situação que foge do controle do bancário, que adoeceu, muitas vezes por causa da carga de trabalho exaustiva.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia