A Medida Provisória (MP 995) que privatiza a Caixa a partir de suas subsidiárias, perdeu a validade no dia 3 de dezembro, sem ter sido analisada pelo Congresso Nacional. Porém, a tentativas de privatização do banco vão continuar.

Nos meses em que MP ainda estava em validade, o banco preparou a abertura de capital das subsidiárias, o que prejudica a tanto o banco quanto a população. Apesar da vitória das entidades e empregados, a MP foi nociva enquanto durou.

Desde quando editada a MP 995, em 7 de agostos, as entidades representativas dos bancários realizam ações e protestos contra a privatização dos bancos públicos e revogar a MP. Além disso, houve diálogo com parlamentares para que rejeitassem a Medida.

A Caixa e todos os bancos públicos têm papel fundamental para o desenvolvimento do país e passam por um momento de constantes ataques e ameaças de privatização, mesmo durante a pandemia, provocada pelo novo coronavírus (covid-19).

Fonte: FEEB BA/SE com informes da CONTRAF