Mesmo com a pandemia gerada pelo coronavírus quatro dos maiores bancos que atuam no Brasil – Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Santander - fecharam 10.263 postos de trabalho em 2020. Os números mostram que eles não cumpriram o compromisso assumido publicamente de não demitir durante a pandemia.

Os quatro juntos fecharam ainda 1.692 agências bancárias e postos de atendimento apenas no ano passado, demonstrando que não se importam também com os interesses dos clientes, que são obrigados a percorrer longas distâncias para receber atendimento presencial em unidades cada vez mais lotadas.

Os dados são de um levantamento do portal R7, realizado a partir dos balanços a investidores publicados pelas instituições financeiras no início de 2021.

O levantamento mostra que o Bradesco demitiu 7.754 funcionários em 2020. Fechou 1.083 agências e 3.206 caixas eletrônicos. A estimativa para 2021 é fechar outras 450 agências. O Itaú Unibanco fechou 167 agências e postos de atendimento em 2020, mas registrou aumento de funcionários - de 2019 para 2020, o número subiu de 94,9 mil para 96, 5 mil trabalhadores. O Santander fechou 2020 com uma redução de 7,2% no número de agências e postos. Já o número de funcionários ficou em 44.599 após a redução do quadro em 3.220 postos.

Já o Banco do Brasil desligou 1.517 funcionários em 2020 e o número vai aumentar consideravelmente em 2021. No dia 11 de janeiro, a instituição anunciou uma reestruturação que deve desligar 5 mil funcionários, além do fechamento de 361 unidades, sendo 112 agências, sete escritórios e 242 postos de atendimento. A implementação das medidas deve ocorrer durante o primeiro semestre de 2021.

Caixa

Os números devem ser ainda maiores, já que a Caixa ainda não divulgou o balanço de 2020. Segundo a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), a Caixa desligou quase quatro mil empregados no ano passado.

Em 2020, o banco público abriu o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) para 7,2 mil empregados. Até a data limite para adesões, 2,3 mil pessoas aderiram ao Programa. Como o número ficou abaixo das expectativas da direção do banco, o PDV foi reaberto até 11 de dezembro, mas a Caixa não divulgou o número total de desligamentos.