O Itaú obteve o lucro líquido recorrente de R$ 6,543 bilhões no segundo trimestre de 2021, um crescimento de 55% em relação ao mesmo período do ano passado. O banco já tinha lucrado R$ 6,4 bilhões entre janeiro e março, o que significa que o ganho no primeiro semestre do ano foi de R$ 12,943 bilhões.

O lucro é fantástico e mostra que o Brasil continua sendo o paraíso dos banqueiros. Afinal, como explicar um ganho tão alto em um momento de pandemia e crise econômica no país, que tem 14,8 milhões de desempregados, segundo o IBGE.

Segundo o Itaú, grande parte do lucro veio do crescimento de 12% da carteira de crédito. No segundo trimestre, as carteiras de crédito de pessoas físicas e de micro, pequenas e médias empresas avançaram 22,2% e 23,4%, respectivamente. Dentro da carteira de pessoas física, além da expansão do crédito imobiliário (44,4%) e financiamento de veículos (32,3%), o banco destacou o crescimento do crédito consignado (17,3%) e cartão crédito (21,2%), quando comparado ao segundo trimestre de 2020.

Isso demonstra que mais uma vez os bancos lucram com o endividamento da população. Juros altos e as tarifas cobradas pelos serviços continuam sendo a maior fonte de ganho dos bancos.

Ao mesmo tempo em que lucra muito, o Itaú continua demitindo funcionários. Foram mais de 1.000 desligamentos durante a pandemia. O banco investe também em programas de metas que adoecem os bancários que ficam e precarizam o atendimento ao cliente.

Fonte: FEEB BA/SE