O Santander anunciou nesta quinta-feira (28/7), que obteve o lucro líquido gerencial de R$ 4,084 bilhões no segundo trimestre de 2022. O resultado ficou 2,1% abaixo do mesmo período de 2021 e 2% acima do primeiro trimestre de 2022, quando lucrou R$ 4.005 bilhões. Com isso, os ganhos do Santander no Brasil chegam a R$ 8.089 bilhões apenas em seis meses.

No segundo trimestre, as receitas oriundas das operações com clientes somaram R$ 14,288 bilhões no segundo trimestre, com alta de 3,1% na comparação trimestral e 24,5% em 12 meses. De acordo com o banco, o aumento foi impulsionado pelo mix de produtos no crédito e spread em captações. Na prática, os ganhos são resultados da cobrança de juros nas operações de crédito.

A receita de prestação de serviços e tarifas bancárias somou R$ 4,882 bilhões no segundo trimestre de 2022, um crescimento de 5,7% na comparação com primeiro trimestre de 2022, influenciado pelas receitas de seguros e cartões de crédito.

Ao mesmo tempo em que lucra tanto, o Santander não valoriza os principais responsáveis pelos seus resultados, que são os clientes e bancários. Ao contrário, demite, assedia, sobrecarrega e adoece os funcionários, que com isso, não conseguem prestar um atendimento de qualidade. O banco também cobra altos juros e tarifas da clientela, contribuindo para o endividamento cada vez maior da população.

Fonte: FEEB BA/SE