Abril foi de terror na Bahia. Em 30 dias foram registrados 11 ataques a bancos, média de uma ocorrência a cada 2,7 dias. Os casos de abril superam os dos três primeiros meses do ano. Entre janeiro e março foram 9 ataques.

No ano, o Estado tem 20 ocorrências contra as agências bancárias, sendo 16 explosões, 1 tentativa de arrombamento frustrada e 3 casos não identificados. Em Salvador foram 6 ataques. O último ocorreu na madrugada de sexta-feira (30/04), na agência da Caixa do Largo do Tanque.

A unidade ficou completamente destruída. Um prejuízo para a população, sobretudo no atual momento, de pagamento do auxílio emergencial, quando milhares de pessoas procuram atendimento para amenizar o sofrimento com a pandemia do novo coronavírus.

O cenário é preocupante e o Sindicato dos Bancários da Bahia tem denunciado a falta de segurança e cobrado ação do poder público. Neste ano, inclusive, já se reuniu com a Secretaria de Segurança Pública para discutir medidas de enfrentamento aos ataques nas agências do Estado.

A entidade também cobra da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) investimento. As empresas lucram bilhões todos os anos, em 2020, mesmo com a pandemia, colocou nos cofres mais de R$ 79 bilhões, portanto podem e devem investir em medidas que garantam proteção às pessoas.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia