Os empregados da Caixa são submetidos a péssimas condições de trabalho em meio à pandemia de Covid-19. Enquanto isso, o presidente do banco, Pedro Guimarães viaja pelo país para se autopromover.

Somente neste ano, mais de 80 empregados do banco faleceram em decorrências da doença. O número é quase cinco vezes maior do que a quantidade de mortes em 2020. No ano passado, foram registradas 18.

Além disso, os dados das entidades representativas indicam que em oito óbitos, não relacionados ao vírus, existem indícios de relação com riscos psicossociais do trabalho na Caixa, com cobranças abusivas de metas e o assédio moral.

É uma gestão desumana. Os empregados estão extremamente sobrecarregados, cansados e esgotados física e psicologicamente. Mas, o presidente da Caixa não se importa e segue realizando expedições e aparições nas lives de Bolsonaro, invés de cobrar prioridade na vacinação para os bancários.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia.