Os gerentes do Santander têm enfrentado problemas. Orientados a baixar o WhatsApp Business no celular particular e configurar o aplicativo para atender os clientes com o número comercial do banco da mesa de trabalho, os funcionários são obrigados a receber mensagens dos correntistas, pois o aplicativo continua funcionando depois do expediente e nos finais de semana.

Apesar de o trabalhador deixar o WhatsApp Business sem som, continua visualizando as mensagens. Isto é uma violação ao direito de descanso e ao direito à jornada de trabalho. No caso do empregado afastado, ao direito de recuperação. Ainda há relatos de bancários são ameaçados pelos clientes.

A situação é ainda mais grave porque o Santander transfere custos da operação ao trabalhador, que usa o celular próprio e os dados do plano para trabalhar. No comunicado na rede (Now), no último dia 24, o banco informou que bancários terão de usar o celular particular e proibiu a vinculação de números de telefone do Santander a quaisquer aplicativos de mensagem.

A prática fragiliza os limites entre trabalho e descanso. Os representantes dos empregados do Santander reivindicam que o banco forneça um aparelho de telefone celular exclusivo para o desempenho das atividades profissionais e determine que o aparelho seja desligado fora do horário de expediente.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia