O déficit de mais de 20 mil empregados pode gerar mais um grande prejuízo para Caixa. O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) para obrigar a Caixa a melhorar seu Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC) em todo o país. A multa em caso de condenação é de, no mínimo, R$ 1 milhão.

A ACP tem como base informações da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que apontam a Caixa como a instituição financeira que mais recebeu reclamações relacionadas ao SAC na plataforma "consumidor.gov.br" de 2016 a 2018. Ainda, segundo o MPPF, foram registradas 13.413 reclamações contra o seu SAC no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) em 2019 e 2020.

O MPF concluiu que o serviço, que já era prestado com deficiência, piorou em 2019 e 2020. A conclusão do órgão é de que a Caixa vem prestando um péssimo serviço de atendimento ao consumidor desde 2016. Na ação, o MPF pede a condenação do banco para cumprir os termos do Código de Defesa do Consumidor e do Decreto nº 6.523/2008, sob pena de pagamento de multa no valor mínimo de R$ 1 milhão por ano de descumprimento.

O principal motivo para o péssimo atendimento é o déficit de empregados na Caixa. O problema foi se agravando nos últimos anos com a falta de contratação de pessoal e os programas de desligamentos voluntários (PDVs) lançados pela direção do banco. Soma-se a isso, o adoecimento dos bancários que restam, com a pressão desumana por metas, ameaças de descomissionamentos e de retirada de direitos, como a assistência à saúde.

Há muito tempo que as entidades representativas dos bancários cobram a contratação de mais empregados para a Caixa. A expectativa é de a ACP do Ministério Público convença a direção da empresa sobre a necessidade de mais bancários para atender a população.

Fonte: FEEB BA/SE