Mesmo com as barreiras impostas pelo Banco Central, que segue conservador na redução da Selic, o Brasil segue em crescimento. A inflação está sobre controle, o mercado voltou a gerar emprego e a renda do brasileiro a melhorar. Portanto, não dá mais para o Copom (Comitê de Política Monetária) insistir em cortes tímidos.


O mercado espera queda de 0,5 ponto percentual ao fim da reunião de hoje. Se concretizar cai para 10,75% ao ano. Ainda alta. O brasileiro precisa de muito mais para sentir a redução no dia a dia. Para o Sindicato dos Bancários da Bahia será apenas um passo curto em direção a um cenário econômico mais favorável.


O corte na taxa de juros sempre foi uma bandeira do movimento sindical, e não é difícil entender o porquê. Uma diminuição mais significativa estimula o crescimento econômico e eleva o potencial de geração de empregos, além de aumentar o poder de compra da população.

Bancários Bahia